O Novo Anti-Catolicismo-O último preconceito aceitável - Front catolico

O Novo Anti-Catolicismo-O último preconceito aceitável



Esta é uma postagem para uma causa e para uma denúncia, um assunto delicado, mas que deve ser falado.

Com relação as mídias pode-se dizer que em muitas delas há o preconceito anticatólico. Mas eu ainda vejo isso em vários lugares como uma paranoia. Por vezes na ficção aparecem sacerdotes como vilões poderosos e muito bons de briga mais como uma ironia. Muitos destes personagens são até bem divertidos.
Falar da Igreja Católica fascina muita gente, principalmente aqueles que pouco dela conhecem.     

            
De acordo com o escritor Philip Jenkis, o Anticatolicismo é o último preconceito aceitável, e não há como contestar este juízo. A retórica anticatólica nunca foi reconhecida como sendo um problema social. Na mídia, o catolicismo é tema para sátiras, e programas de TV atacam opiniões, doutrina e líderes católicos. Tudo isto é apoiado na já manjada desculpa da liberdade de expressão. Mas a tal chamada tolerância para com a liberdade de crença não se aplica quando figuras católicas estão envolvidas. Um exemplo disso é o grande paraíso da liberdade de expressão chamado internet. Em sites, blogs, etc. é possível ver cada insulto, visão preconceituosa e opiniões ofensivas que as pessoas jamais sonhariam em falar de qualquer um outro grupo religioso, mas da Igreja Católica parece que se pode falar o que bem entender.
Atualmente isto é cada vez mais comum. Os ataques e ofensas que católicos do mundo inteiro sofrem, caso fossem dirigidos a outros seguidores de diferentes crenças, dariam o que falar durante anos e até poderiam destruir a vida da pessoa que os proferiu. Mas quando o alvo são os católicos, continua tudo numa boa. E ai de todos os católicos se algum criminoso declarar-se católico.

O anticatolicismo é bem definido como o “antissemitismo dos liberais” e é até visto como uma virtude, sendo amplamente tolerado e incentivado. Em alguns países, historicamente, padres e bispos ocuparam um lugar de destaque na ordem política e social, o que fez com que fossem os primeiros alvos do descontentamento popular. No imaginário anticlerical, o clero é frívolo, hipócrita, formado por pedófilos e déspotas megalomaníacos.
 
 
Na América Latina o anticatolicismo cresceu assustadoramente nos últimos anos e vemos semanalmente igrejas sendo profanadas, destruídas e incendiadas.


E, obviamente, um católico pode ser anticatólico. Um exemplo mais atual seria o famoso ex-frei Leonardo Boff. 
Um professor de História que conheci quando fiz um cursinho para me preparar para os concursos públicos, anos atrás, revelou as verdades histórias, revoltando muitos dos meus colegas de classe que esperavam mais uma oportunidade para atirar pedras contra a Igreja, a qual este professor (sendo infelizmente um em um milhão) atribuiu a criação do Método Científico, as origens do Direito Internacional, a construção de hospitais e universidades, dentre muitas outras realizações que contribuíram para a construção da nossa Civilização Ocidental. 
As universidades, que foram uma das invenções da Igreja, ironicamente hoje são usadas como uma das formas para destruir a cultura católica. O clero preservou a cultura clássica e lançou importantes estudos para várias vertentes da Ciência e da Filosofia. A sugestão que dou para quem quer conhecer mais deste tema é a leitura de autores como Thomas E. Woods Jr. Vai ajudar muito a fazê-lo perder um pouco do seu preconceito, isto é, se quiser perde-lo.

Só mais uma dica: Seth Macfarlane, Leonardo Boff, Jean Wyllis, Luciana Genro, Opera Mundi, Yuri Grecco e Pirulla, Carta Capital, Gregorio Duvivier, Fabio Porchat e (claro!) Rede Record de Televisão não são fontes históricas!

0 comentários via Blogger
comentários via Facebook

Footer

Tecnologia do Blogger.