Atriz Maitê Proença Testemunha auxílio de Maria após pai matar a mãe e se matar - Front catolico

Atriz Maitê Proença Testemunha auxílio de Maria após pai matar a mãe e se matar





“Minha mãe era professora de filosofia, e meu pai advogado. Ambos eram ateus e por  isso não conversávamos sobre Deus e sobre a Igreja em nossa família. Quando na escola me perguntavam se tinha feito a primeira comunhão, respondia que não sabia o que era aquilo.

         Aos dez anos de idade comecei a perceber que meus pais brigavam muito. Brigas que terminaram tragicamente para minha mãe, pois meu pai a matou e foi internado num hospital psiquiátrico e acabou suicidando-se.
         Eu já não sabia o que significava a felicidade e amor, e não tinha idéia de como era uma família normal. Neste estado terrível em que me encontrava, costumava fugir de mim mesma, ingressando em várias seitas e religiões pagãs. Procurei até os índios do Amazonas. Lembro que me deram a beber uma espécie de droga. Quando ingeri aquilo achei que iria morrer ou ficar louca. Compreendi que precisava buscar outro tipo de vida.. e acabei me tornando uma atriz conhecida no Brasil, graças à televisão e ao cinema.

Como atriz, representei vários papéis e no momento me preparo para fazer o papel de Santa Teresa de Ávila. A fim de me identificar ao máximo com a santa, visitei o convento das carmelitas, onde uma freira me forneceu uma quantidade de material sobre Santa Teresa. Quando, porém comecei a penetrar mais profundamente na vida da santa, me senti mal, sofri depressões tamanhas que já não suportava ninguém a minha volta.
Um dia , pedi àquela freira para me ajudar. Ela começou a rezar comigo, deu-me a Bíblia e me consagrou a Nossa Senhora. Disse-me também que deveria ir a Medjugorje. Como eu nada sabia sobre o assunto, me contou tudo a respeito das mensagens, dos videntes, da oração, do jejum e da Missa. Decidi então viajar para lá e já estou aqui em Medjugorje há uma semana.
Minha viagem foi incomum. Além de todos os problemas, minha bagagem foi extraviada. Senti-me verdadeiramente estranha, sem ter comigo as coisas as quais estava habituada. No entanto, isto me fez entender que não tinha necessidade de tantas coisas... Quando cheguei diante da estátua de Nossa Senhora, na praça, apenas chorei e chorei.  Não tinha nem mesmo tempo para rezar. As lágrimas brotavam copiosamente, limpando algo que estava profundamente enraizado em minha alma.



 Atriz Maitê Proença e Padre Reinaldo Pinheiro durante sua ida a Medjugorje em 1988
Foto cedida gentilmente por Padre Reinaldo Pinheiro da Associação Servos da Rainha em Brasilia

Depois de tudo o que experimentei em Medjugorje, minha vida está voltada para Nossa Senhora. Vai ser muito duro, mas eu sei que terei de mudar muitas coisas. Irei rezar com a minha filha, casar-me na Igreja e ajudar meu marido a não ser ateu. Colocarei a oração em primeiro lugar, tentarei jejuar e seguir a Gospa. Espero que Ela me ajude a usar a oportunidade de atuar na televisão para vir a ser uma apóstola. Como jamais aconteceu em minha vida, senti fortemente a presença de Deus nestes últimos dias.

Vou ajudar as pessoas a aprenderem a perdoar r a nos amarmos mutuamente. Creio que serei capaz de falar aos outros, sinceramente, aos outros, sinceramente, de coração, sobre a minha vida, ajudando-os deste modo. Não sou melhor que os outros, mas posso testemunhar o Amor de Deus. Nunca experimentei tanta paz no coração como aqui em Medjugorje. É uma espécie de paz que jamais e em nenhum lugar existiu antes para mim.
Quando eu voltar para a televisão, sei que muitos me perguntarão o que aconteceu comigo. Será difícil explicar todas as mudanças à minha família e, em particular, ao meu marido... Mas hoje ele me telefonou e lhe contei tudo. Também lhe disse que estava pensando em me casar no religioso, ou então terminar a nossa união. Após uma pequena pausa, me pediu para rezar por ele.
Sei que a Gospa me ajudará porque minha vinda a Medjugorje é uma dádiva Dela. Vou testemunhar a todos o que vi e ouvi e irei divulgar as mensagens da Gospa por meio da mídia, que tanto me ajudou para eu me tornar conhecida. Às orações Dela recomendo todas as famílias desunidas” (Testemunho publicado no jornal Atualizando Medjugorje em maio de 1988)

Trecho retirado do livro Medjugorje Urgente – Olivo Cesca – Secretariado Rainha da Paz/RS - 2000

0 comentários via Blogger
comentários via Facebook

Footer

Tecnologia do Blogger.