MODAS QUE ARRASTAM PARA O INFERNO - Front catolico

MODAS QUE ARRASTAM PARA O INFERNO



 



n/d
“Hão de vir umas modas que ofenderão muito a Nosso Senhor ... os pecados da carne são os que levam mais almas para o inferno”
Com esta contundência a Virgem falou a três pastorinhos inocentes. As crianças sabiam que a condenação eterna era real e não uma questão trivial. Eles viram com espanto o inferno angustiante aberto e o desespero dos condenados. A canção “Ave de Fátima” reflete esse mesmo ensinamento: “As modas arrastam ao fogo infernal, se vista com decência se quereis  se salvar.” Hoje, infelizmente, essas pequenas advertências foram mutiladas nas versões açucaradas da canção.

Embora seja repetitivo, vale a pena lembrar estas verdades à alma adormecida dos católicos "ligth". Elas parecem óbvias, mas poucos se dão conta, ao perder-se o sentido do pecado na sociedade, infelizmente, também entre muitos católicos infectados pelo modernismo.
Através de filmes clássicos é fácil de verificar a involução da moda no século XX. Houve um tempo, agora parece remoto, em que  se vestia com elegância e modéstia. Os homens, também os jovens, usavam terno, gravata e chapéu. Mulheres com vestidos recatados realçavam sua beleza sem mostrar certas partes do seu corpo.

Após a revolução sexual de maio de 68 foram diversas rebeliões contra cultural para mudar os costumes e a moral da sociedade. O surgimento de minissaias, decotes, biquínis, calças coladas etc. e o poder de sedução da publicidade converteram as mulheres em objetos  de desejo sexual. A mulher objeto é o modelo oposto da mãe cristã modesta que é a Santíssima Virgem como referência. A engenharia social também converteu o homem em objeto de desejo, afeminando-o e aficionando-o  a cremes, dietas, depilação ...
Este processo de degeneração no vestir tem crescido de forma constante no século XXI. Em qualquer cidade ocidental, desapareceu totalmente a modéstia no vestir, especialmente no verão. Esta é a fonte de muitos pecados e ocasiões de pecado. Todo mundo que se veste provocativamente, no Dia do Juízo, vai dar contas a Deus deste mal e dos pecados de todas as pessoas que fizeram cair.
n/d
Os católicos têm o grave dever de dar o exemplo e se vestir decentemente neste mundo hedonista. Assim, mostramos que a alma vale mais do que o corpo e não ofenderemos os Sagrados Corações de Jesus e Maria, que sofrem pelos pecados da humanidade. Uma das grande dores é a luxúria, alimentada pela moda e publicidade.
Sacrilégios que clamam ao céu    

E é sacrílego a permissão da entrada de pessoas vestidas indecentemente na igreja. Padres e bispos são gravemente responsáveis. Devem categoricamente impedir pessoas de entrarem na igreja sem estarem vestidas modestamente e ainda mais para participar do Santo Sacrifício do Altar. Eles terão que responder a Deus se eles permitem que esses sacrilégios e escândalos.
n/d

(BATACLÃ = CASA DE PROSTITUIÇÃO)
n/d
“Inevitavelmente haverá escândalos, mas, ai de quem eles vêm!"
"Seria melhor que ele tivesse uma pedra amarrada no pescoço e fossem precipitados ao mar, ao invés de escandalizar um destes pequeninos”. (Lucas 17, 1)
É dever de zelo católico advertir o pastor e, se necessário, o prelado, desses dolorosos abusos e corrigir as pessoas mal vestidas no templo. Eu não podia deixar de citar a imodéstia em certos acontecimentos eclesiais, por exemplo, nas Jornadas Mundiais da Juventude. Ao assistir, claramente se percebe que se ofende muito a Nosso Senhor pela falta de respeito nas  modas e os pecados de impureza. Igualmente grave é o dever de pastores e  catequistas garantirem que os jovens se vistam e se comportem como cristãos.
Fonte: Adelante la Fé - via - Blog Roma de Sempre

0 comentários via Blogger
comentários via Facebook

Footer

Tecnologia do Blogger.