Globo exibe beijo entre homens na novela adolescente Malhação e psicóloga alerta: “Quem financia a programação é você” - Front catolico

Globo exibe beijo entre homens na novela adolescente Malhação e psicóloga alerta: “Quem financia a programação é você”





A Rede Globo resolveu desafiar mais uma vez os valores da maioria da população no Brasil, especialmente dos cristãos, exibindo a cena de um beijo gay na TV. Dessa vez, porém, a emissora foi mais ousada e fez isso na novela Malhação, programação voltada para adolescentes que é exibida no final da tarde durante a semana..


A emissora também levou ao ar, nesta sexta (19), um beijo entre personagens do mesmo sexo em “Malhação – Toda Forma de Amar”.Com o beijo entre Guga e Serginho, “Malhação” completa três temporadas seguidas com beijos gays. A primeira vez foi em “Malhação Viva a Diferença” (2017), entre as personagens Samantha (Giovanna Grigio) e Lica (Manoela Aliperti). Além de terem sido o casal gay com maior número de beijos da dramaturgia brasileira, as jovens também fizeram sexo na novelinha 
“A TV Globo é um poço de tudo o que não presta em matéria de moralidade nas novelas. Adultério, prostituição, destruição familiar através de divórcios, deboche da fé cristã, em particular aos evangélicos”, escreveu a psicóloga.


“A novela ‘Malhação’ se tornou o principal palanque do embate ideológico promovido pelo movimento LGBT, com o objetivo de distorcer a mente de crianças e adolescentes”, alertou Marisa, ressaltando que existe um processo de “acomodação” sendo imposto pela mídia.
Ou seja, a emissora sabe que haverá rejeição, mas faz propositalmente a produção do conteúdo sabendo que muitos irão ver e vão se acostumar com as cenas, tendo como objetivo tornar a transmissão desse conteúdo algo natural, como qualquer outra coisa.


“Eles primeiro levantam a polêmica de forma proposital, pois é assim que percebem a reação do público e criam novas estratégias de abordagem. É assim também que eles conseguem dessensibilizar a sociedade para o que pretendem apresentar no futuro”, explica Marisa.
“Ou seja, o segundo impacto será sempre menor do que o primeiro, até que não cause mais impacto algum. Dessa forma, a sociedade aceita gradualmente o que nunca imaginou aceitar um dia”, completa.

“Mude de canal”

A psicóloga também explicou que a única forma de barrar esse tipo de conteúdo na grande mídia é tendo a consciência de onde vem o financiamento da programação. Para isso, ela explica que as emissoras ganham através da audiência que possui, porque é através disso que conseguem vender espaço publicitário.
“Nenhum alerta possui utilidade se a família não se posicionar diante dessa agenda cultural perversa, manipuladora e mentirosa. Se você, pai e mãe, não assumir o controle da sua casa e da educação sobre seus filhos, programas como Malhação vão ocupar esse espaço”, alerta Marisa.
“Programas como Malhação só existem porque há quem assista. Quem financia a programação é você, telespectador. Sua audiência garante a emissora à aquisição de patrocínio, empresas que pagam para transmitir suas propagandas durante os intervalos da programação”, escreveu ela.


Por fim, a psicóloga que nos últimos anos se especializou em lutar contra a ideologia de gênero em nosso país, diz que a família e às igrejas precisam tomar posição, simplesmente rejeitando esse tipo de conteúdo de forma prática.
“Está indignado com a propaganda ideológica LGBT em Malhação? Desligue a TV ou mude de programação. Proíba em sua casa esse tipo de conteúdo, ensinando aos seus filhos que o respeito à diversidade e militância ideológica são coisas completamente diferentes. Se a família, a igreja, educadores e profissionais não assumirem uma postura de reação agora, amanhã será tarde demais”, conclui Marisa.


0 comentários via Blogger
comentários via Facebook

Footer

Tecnologia do Blogger.