Arcebispo: Respeitar homossexuais não significa aceitar a ideologia de gênero - Front catolico

Arcebispo: Respeitar homossexuais não significa aceitar a ideologia de gênero


O Arcebispo de Poznan e presidente da Conferência Episcopal Polonesa, Dom Stanislaw Gadecki, afirmou que respeitar os homossexuais não significa aceitar a ideologia de gênero, que não reconhece a natureza das pessoas.
"As pessoas que pertencem aos ambientes das chamadas minorias sexuais são nossos irmãos e irmãs por quem Cristo deu sua vida e quer levá-los também à salvação", escreveu o Prelado em uma declaração publicada no site do Episcopado Polonês, em 8 de agosto.
"O respeito por determinadas pessoas não pode, no entanto, levar à aceitação de uma ideologia que busca revolucionar os costumes sociais e as relações interpessoais", destacou.
O Arcebispo citou o Papa Francisco, quando se dirigiu aos participantes do encontro internacional sobre a Complementaridade entre homem e mulher, organizado pela Congregação para a Doutrina da Fé no Vaticano, em novembro de 2014.
“Esta revolução nos costumes e na moral agitou com frequência a ‘bandeira da liberdade’, mas na realidade trouxe devastação espiritual e material a numerosos seres humanos, de maneira especial aos mais vulneráveis”, disse naquela ocasião o Santo Padre.
A ideologia de gênero, que também promove o lobby LGBT (lésbicas, gays, bissexuais e transexuais), é uma corrente que considera o sexo como uma construção sociocultural e que ameaça a natureza humana.
Esta ideologia foi criticada várias vezes pelo Papa Francisco e por outros membros da Igreja. Nesse sentido, em junho deste ano, o Vaticano publicou o documento “Homem e mulher os criou. Para uma via de diálogo sobre a questão de gender na educação”.
Em sua declaração desta quinta-feira, o Arcebispo chamou as "autoridades locais a não tomarem decisões que – com o pretexto de responder à discriminação – escondam a ideologia que nega a diferença natural de sexo e a complementaridade entre homens e mulheres".
"Eu também faço um apelo aos parlamentares para que resistam aos planos de longo prazo dos grupos LGBT que buscam modificar a lei polonesa para introduzir o chamado casamento gay e a possibilidade de adoção" para estes casais, sublinhou o prelado.
Dom Gadecki também lamentou as críticas "que atingiram o Arcebispo de Cracóvia e as reações de alguns grupos contra pessoas que desaprovam a ideologia LGBT, o que testemunha o totalitarismo ideológico em certos ambientes".
“Diante de tudo o que foi exposto, faço um chamado às pessoas de boa vontade para que apliquem o princípio da não discriminação no debate público, não apenas para aqueles que defendem a ideologia mencionada, mas também para que, aqueles que se opõem a ela, possam debatê-la em condições de igualdade”, continuou o Arcebispo.  
O Prelado explicou que esta afirmação surgiu em resposta às "polêmicas sobre a ideologia LGBT", a ofensiva dos ambientes desses grupos, "assim como um aumento nas chamadas marchas de orgulho" e "a introdução em programas escolares de uma nova abordagem à educação sexual, conforme os princípios dessa ideologia
0 comentários via Blogger
comentários via Facebook

Footer

Tecnologia do Blogger.