Pe. Zezinho sobre partidarismos políticos na Igreja: “Não gostam desta catequese” - Front catolico

Pe. Zezinho sobre partidarismos políticos na Igreja: “Não gostam desta catequese”




"A doutrina social da Igreja Católica concorda e discorda em alguns pontos da militância esquerdista e da militância direitista", diz o sacerdote

O pe. Zezinho compartilhou em sua página no Facebook a seguinte reflexão nesta sexta-feira, 5 de julho:

ELES NÃO GOSTAM DESTA CATEQUESE!
Pe Zezinho scj

1- Quando ensino Catequese SÓCIO-POLÍTICA, nem sempre agrado: nem aos católicos da esquerda, aos da direita e aos do centrão! Eles sempre têm um adjetivo para desqualificar o pregador que discorda deles. São militantes porque militam pela vitória do seu partido ou da sua corrente política.
2- Mas o fato é que os mais de 100 documentos da Igreja desde 1959, começando com João XXIII até FRANCISCO de Buenos Aires e lembrando FRANCISCO DE ASSIS, aconselham que se coopere com as coisas boas da política e se denuncie e se discorde dos desvios da política mundial e nacional.


3- Por isso, enfrento os católicos, colegas e irmãos meus que, SISTEMATICAMENTE, concordaram com tudo dos governos passados e hoje condenam tudo do atual governo. São partidários ao extremo. E isso os impede de dialogar com qualquer governo que não seja o seu.
4- Também, havia e há católicos que condenavam tudo dos governos passados e hoje concordam em tudo com o atual governo. Também não aceitam dialogar.
5- A doutrina SÓCIO-POLÍTICA da Igreja Católica concorda e discorda em alguns pontos da militância esquerdista e concorda e discorda em alguns pontos da militância direitista.
6- Para nós, nem o comunismo, nem o socialismo, nem o pragmatismo político, nem o capitalismo selvagem, nem as ditaduras, nem os que pregam o anarquismo, nem o terrorismo são propostas de paz e de diálogo.
7- Não concordo com pregadores militantes que só viam demônio nos governos passados e agora só veem o diabo no governo de agora.
8- São Paulo ensinava que o que é bom a gente ajuda a melhorar e o que não é bom a gente deve denunciar e renunciar. Mas isto vale também para os católicos que se proclamam politizados.


9- Se não sabem dialogar com adversários nas ideias é sinal de que não estudaram suficiente o Catecismo da nossa Igreja, nem a doutrina moral católica. Quando o outro existe para ser derrotado e nosso lado terá que vencer não importa por que meios, estaremos traindo a fé cristã.
10- Os que puseram seus partidos acima da sua fé católica lutarão por uma Igreja esquerdista ou direitista, mas isso não significa que lutarão por uma IGREJA CATÓLICA MAIS JUSTA.
11- Pregar pelos direitos humanos não é o mesmo que pregar em favor da direita política: ela não é exemplo de democracia.
12- Tão pouco a esquerda política é exemplo de luta pelos direitos humanos; não quando partidos esquerdistas apoiam ditaduras e partidos únicos.
Pe. Zezinho, via Facebook


0 comentários via Blogger
comentários via Facebook

Footer

Tecnologia do Blogger.