Quanto Ganha um Padre? Por que uns recebem salários e outros não? - Front catolico

Quanto Ganha um Padre? Por que uns recebem salários e outros não?




Talvez muitos não saibam, mas sim, os padres recebem um salário! No caso, a remuneração é chamada côngrua, e se trata da pensão paga aos representantes católicos.
As necessidades da casa, comida e convênio médico são arcadas pela paróquia. Sendo assim, o salário dos padres é para despesas pessoais, como compras e lazer.
O valor da côngrua recebida varia pela dioceses em que o padre se encontra. Entretanto a faixa salarial do Padre fica entre R$ 2.082,99 (média do piso salarial 2019 de convenções coletivas e dissídios), R$ 1.912,00 (salário mediana da amostragem) e o teto salarial de R$ 4.433,62, levando em conta profissionais contratados com carteira assinada em regime CLT a nível nacional.


- Os Sacerdotes trabalhando em uma Paróquia de uma diocese, oficialmente é designado pelo Bispo para este trabalho, mas não existe carteira de trabalho de serviço religioso. Não é considerada uma profissão. Assim da Paróquia em que trabalha recebe uma ajuda para manutenção. Geralmente a Paróquia tem uma casa para sua moradia, e dá as condições de trabalho, alimento, telefone etc... Dioceses ricas pagam melhor seus padres, dioceses pobres, nas periferias ou no interior do Brasil, menos ou nem tem condições para pagar seus padres, Falo das Paróquias em zonas de missão. Sem recursos financeiros.
- Dependendo das Dioceses, as Paróquias pagam assistência medica, aos padres, mas muitas não tem.
- Amparo na velhice. Muitas dioceses tem casas para o repouso e tratamento de saúde, outras não tem condições e muitos padres na velhice são atendidos por algum familiar ou alma generosa.


- O Instituto de Previdência do Clero no Brasil. Existia com sede no Rio de Janeiro, um Instituto para Clero em que cada Paróquia contribui mensalmente. Mas por má administração foi à banca rota, e os padres idosos perderam a aposentadoria. Os católicos alemães através do Adveniat, passaram contribuir para cada padre idoso com um salário. Para a manutenção emergencial.
- Aconteceu um acordo entre CNBB e INAMPS, para que os padres pudesse contribuir, mesmo sem carteira assinada, na condição se segurado Facultativo, esta é a realidade hoje.
Os religiosos:
Por voto de pobreza os religiosos, não administram suas economias, os que trabalham em Paróquia recebem contribuição mensal como os outros padres, só que está contribuição vai para a caixa da província. É uma outra realidade.
0 comentários via Blogger
comentários via Facebook

Footer

Tecnologia do Blogger.