É #FAKE:Padre Fábio de Melo nega autoria de texto sobre ataque em Suzano - Front catolico

É #FAKE:Padre Fábio de Melo nega autoria de texto sobre ataque em Suzano






Boato – O padre Fábio de Melo escreveu um texto sobre o massacre de Suzano no qual aponta que o grande problema é que as famílias estão desestruturadas e fracassadas e não das armas.





Dois dias se passaram desde o ataque na escola Raul Brasil, na cidade de Suzano (SP), que resultou em 10 mortes. No momento, investigações tentam encontrar as motivações para o crime, famílias desoladas enterram os mortos e muita gente está compartilhando um texto atribuído ao padre Fábio de Melo.





Uma mensagem começou a viralizar no WhatsApp e no Facebook e aponta que o texto é “o melhor escrito até agora sobre a tragédia de Suzano”. Na carta, Fábio de Melo teria dito que a culpa não é do porte de arma, do governo Bolsonaro, videogames, bullying ou escolas. A culpa seria das famílias desestruturadas e fracassadas. Leia:

SOBRE O MASSACRE EM SUZANO Autor: Padre Fábio de Melo “Cansado e perplexo com tantas baboseiras e falsas justificativas pras atrocidades que ainda nos surpreendem todos os dias… Os meninos não mataram porque o porte de arma é um projeto do atual governo. Os meninos não mataram porque jogavam jogos violentos.Os meninos não mataram porque a escola foi omissa. Os meninos não mataram porque sofreram Bullying…




Eles mataram porque as famílias estão desestruturadas e fracassadas, porque não se educa mais em casa, não se acompanha mais de perto, a tecnologia substitui o diálogo, presentes compram limites, direitos e deveres e não há o conhecimento e respeito a Deus. Precisamos parar de nos omitir, de transferir culpas. A culpa é minha, é sua, de todos nós! ” A violência é o desdobramento de carências afetivas, da necessidade de ser visto e notado, ainda que da pior maneira” As armas não matam, o que mata é a ausência de AMOR!!!
Padre Fábio de Melo fez texto sobre o massacre de Suzano e famílias?

Sobre essa mensagem, você tem três caminhos a seguir: concordar, concordar em partes ou discordar. Sobre a autoria, só há um caminho: concordar que o texto não é do padre Fábio de Melo. Para você entender tudo, vamos aos fatos.

De cara, um ponto já nos chamou atenção: o fato de que diversos textos costumam ser atribuídos ao padre Fábio de Melo de forma errônea. Só aqui no Boatos.org já falamos do texto sobre Cristiano Araújo, sobre infância, sobre caminhoneiros, sobre Bolsonaro e sobre o movimento gay. Por esse motivo, nós aconselhamos: sempre que você vir um texto atribuído a Fábio de Melo, dê uma segunda analisada.

Nós analisamos e descobrimos duas coisas interessantes. A primeira é que a mensagem não está em nenhum dos perfis originais do padre. Até achamos um texto de Fábio de Melo sobre o massacre em que são citados laços familiares, mas não tem nada sobre bullying, jogos violentos ou porte de armas do governo. Dá uma olhada na publicação dele no Instagram e Twitter e em uma mensagem dada na TV em que lamenta o ocorrido:

A tragédia de Suzano não só nos entristece. Ela expõe a nossa vulnerabilidade social. Foi o tempo em que só temíamos os bandidos. Hoje, uma dor emocional não curada, pode levar um adolescente a se tornar um assassino. Os distúrbios emocionais nem sempre são percebidos e considerados pelos que formam a nossa ambiência afetiva. Não é incomum encontrar adolescentes reféns de seus traumas e completamente desamparados. Colocar um filho no mundo requer disposição de lidar com ele.



Só a proximidade nos faz perceber as necessidades e conflitos do outro. É justamente na construção da intimidade que erramos. Laços familiares se limitam a ser parentescos, o que não quer dizer absolutamente nada. O que nos vincula não é a obrigação, mas o amor. O desamparo emocional alimenta uma desolação silenciosa. A partir dela a pessoa passa a nutrir ódio pelos que estão felizes.



A segunda coisa que descobrimos é que o texto surgiu anônimo na internet. Em alguns casos, ele chegou até a ser atribuído (também de forma errada) ao pastor Cláudio Duarte (talvez a gente tenha que vir desmentir essa versão da história também). 

Resumindo: a história que aponta que o padre Fábio de Melo se pronunciou a respeito da tragédia de Suzano é falsa. O texto surgiu anônimo na web para depois ser atribuído ao padre, que até falou sobre o assunto, mas não é o autor do viral.

via boatos.org

0 comentários via Blogger
comentários via Facebook

Footer

Tecnologia do Blogger.