Querido por fiéis, padre 'pop' lota santuário durante missa de despedida - Front catolico

Querido por fiéis, padre 'pop' lota santuário durante missa de despedida




Mais de mil pessoas ocuparam cada canto de Santuário e emocionaram Padre Dirson, missionário que em 8 anos conquistou cada devoto com simpatia, modernizou a igreja e pregou a fé até pelo Facebook


Fiéis acompanharam missa do ladinho do padre no altar. (Foto: Kisie Ainoã) Fiéis acompanharam missa do ladinho do padre no altar. (Foto: Kisie Ainoã)
Um misto de devoção, muita emoção e ao mesmo tempo felicidade tomou conta da tradicional Missa do Santíssimo, esta noite (24), a última celebrada pelo Padre Dirson Gonçalves no Santuário Nossa Senhora Perpétuo Socorro em Campo Grande



Depois de oito anos o missionário que conquistou cada devoto com simpatia, modernizou a igreja e pregou a fé até pelo Facebook, deixa a Capital fortalecido “para voar mais alto”, garantiu ao chegar para a sua despedida. Na última celebração, por sinal, um velho hábito não foi deixado de lado: a pontualidade.
“Sempre cheguei em cima da hora, mais nunca atrasado. Sempre foi assim”, sorriu, impressionado ao “espiar” a igreja lotada, enquanto ainda conversava com a reportagem. O padre chegou à igreja dois minutos antes de começar a missa, por volta das 19h15.
“O sentimento que fica ao ver todas essas pessoas aqui é de alegria e gratidão. Me sinto preparado para novos desafios, e o que mais vai deixar saudade é a força espiritual do sul-mato-grossense. É um povo fervoroso na fé”, disse, visivelmente emocionado minutos antes de subir ao altar.
Padre Dirson, pouco antes da celebração. (Foto: Kisie Ainoã)Padre Dirson, pouco antes da celebração. (Foto: Kisie Ainoã)


Bem mais que mil pessoas ocuparam cada canto da igreja para acompanhar a missa desta noite, que deixou de lado qualquer protocolo e reforçou a popularidade do padre. “Podem preencher todos os corredores”, ele autorizou e mesmo assim ainda sobraram fiéis do lado de fora.
Recebido com uma longa salva de palmas, cada devoto deixava claro no olhar, enquanto apertava firme o crucifixo, sorrindo ou com os olhos marejados, o quanto o padre é querido. Entre as muitas inovações que Dirson trouxe para o Santuário, uma delas foi a transmissão das novenas de quarta-feira pela internet.


Uma alternativa que aproximou ainda mais os devotos da igreja, mas também aumentou seu número de seguidores virtuais. Cerca de 45 mil. 
Mas todos, esta noite, deixaram claro que o carisma do padre sempre foi muito além da tela do computador.
“Ele se tornou esse fenômeno, essa ‘estrela’ dentro da igreja pela simplicidade. O discurso dele agrega, atinge todo mundo, independente da classe social”, comentou o mestre de cerimônias do Santuário, o dentista Luis Antônio Rocha, de 26 anos.
Quem também reforçou a simplicidade e humildade do padre foi a devota Dalva Vieira, de 68 anos. “O coração está muito apertado, mas o sentimento que fica não é o de tristeza, é de saudade e felicidade por saber que o que ele realizou aqui vai levar para outros lugares por onde passar.Tocar a vida das pessoas como fez em Campo Grande e sempre se dirigir a todo mundo com simplicidade”, disse Dalva.
Dirson abraçando uma de sua amigas e fiéis. (Foto: Kisie Ainoã)Dirson abraçando uma de sua amigas e fiéis. (Foto: Kisie Ainoã)
Dirson deve ficar na Capital até o próximo domingo (27) e depois segue para o santuário estadual de Nossa Senhora do Rocio, em Paranaguá (PR), para onde foi transferido. O padre Reginaldo Padilha, que estava como pároco da Nossa Senhora da Guia, em Campo Grande, e a 7 anos ajuda nas celebrações de novenas e missas no Santuário, será o novo reitor da igreja Nossa Senhora do Perpétuo Socorro.


Em Campo Grande além dos “fãs” católicos, padre Dirson também deixa um legado impressionante. Entre eles a construção do CAD (Centro de Apoio aos Devotos), que abriga a secretaria, lojinha, salas de catequese, auditório e banheiros.

Ajudou na criação da Comunidade Terapêutica de Campo Grande, uma chácara destinada a recuperação de dependentes químicos que teve a nova sede, com 1.100 metros quadrados, inaugurada em 2017. 
O número de novenas em todas as quartas-feira também passou de 11 para 18 horários, se tornando o Santuário dedicado à Nossa Senhora do Perpétuo Socorro que mais realiza novenas no Mundo. Além das celebrações no Santuário, elas também passaram a ser transmitidas ao vivo pelo Facebook.
Em oito anos padre Dirson também realizou 600 casamentos comunitários e trouxe mais valorização para a igreja, que se tornou a mais procurada para casamentos. A repaginada com pintura e direito a lustres por toda a extensão foi aplicada durante a sua “gestão” como reitor do Santuário.


O mais recente maior marco do centro foi a instituição de Nossa Senhora do Perpétuo Socorro como a Padroeira de Mato Grosso do Sul, no dia 27 de dezembro de 2017.  
“Eu sempre costumei a dizer que ele é o marqueteiro de Deus”, brinca a devota Mercedez Lopes, de 68 anos, que ainda acrescentou.
“A Perpétuo foi uma escola para ele. Para onde ele vai as missas são maiores com 100 a 200 mil pessoas comparecendo, mas tenho certeza que ele vai fazer tudo como sempre fez”, comenta.
Devotos durante a celebração desta noite. (Kisie Ainoã) Devotos durante a celebração desta noite. (Kisie Ainoã)
Duas das devotos que não escondem o carinho pelo padre. (Foto:Kisie Ainoã)Duas das devotos que não escondem o carinho pelo padre. (Foto:Kisie Ainoã)


Emoção e homenagens – Como se não bastasse o tom de despedida da celebração, nesta quinta-feira (24) o padre também completou seus 20 anos de vida religiosa, dando uma carga extra de emoção ao missionário que por inúmeras vezes, se viu com a voz embargada, durante a missa.


No momento de bênçãos, os devotos e voluntários do santuário levaram imagens, porta-retratos e outros objetos que simbolizavam alguns dos feitos do padre no Santuário. 
Algumas famílias e representantes de outras pastorais também deram último depoimento para ele.
Num telão imenso também foram mostrados outros registros desses oito anos, imagens da sua família que é de Bodoquena, mas um dos momentos mais emocionantes foi na comunhão. Ao levantar a hóstia, o padre não conseguiu conter às lágrimas, sensibilizando ainda mais os fiéis.
A banda da igreja também cantou uma música feita por ele em parceria com um outro devoto, integrante da liturgia. “Trem Bala”, da cantora Ana Vilela, canção preferida de Dirson também foi uma das trilhas da noite.
Depois de aproximadamente 1h40 de celebração, grande parte dos fiéis fez questão de se aglomerar em frente ao altar para dar o último abraço ao “passageiro prestes a partir”, mais especial da noite.
Do alto, Santuário lotado na última celebração do padre Dirson na Capital. (Foto: Kisie Ainoã)

0 comentários via Blogger
comentários via Facebook

Footer

Tecnologia do Blogger.