Uma das maiores divergências entre evangélicos e católicos envolve a percepção sobre os santos. Para os fiéis da denominação sediada no Vaticano, o questionamento em torno desse dogma é uma expressão de desrespeito à sua fé. Tanto que o padre Jorjão, um dos mais respeitados do Rio de Janeiro, deixou escapar sua irritação com o debate.


No último domingo à noite, durante a missa, o padre Jorge Luiz da Silva, popularmente conhecido como Jorjão, se irritou durante o sermão e aconselhou os fiéis da Igreja Nossa Senhora da Paz a responder de forma pouco educada aos evangélicos.
“Quando algum protestante falar mal dos santos, mande-o para o raio que o parta!”, disse o padre, logo após ter elogiado a vida de São Sebastião, padroeiro do Rio de Janeiro.


De acordo com o jornalista Ancelmo Góis, d’O Globo, “muita gente riu, mas, em seguida, o próprio sacerdote, que é uma figura querida no Rio, pediu desculpas pelas palavras fortes”.

Lenda

A expressão de irritação do padre Jorjão sobre os questionamentos em torno dos santos católicos faz parte de um contexto que tem grande significado para os católicos.


A declaração se deu enquanto falava sobre a vida de São Sebastião, que segundo a lenda que o transformou em padroeiro do Rio de Janeiro, ele teria sido visto empunhando uma espada ao lado dos portugueses, índios e mamelucos, lutando na batalha que expulsou os protestantes franceses da região.
Coincidentemente, a batalha entre os católicos e os calvinistas ocorreu no dia 20 de janeiro, dia do santo na tradição católica