“Marido não autoriza transfusão de sangue porque era testemunha de Jeová e deixa a esposa grávida morrer” - Front catolico

“Marido não autoriza transfusão de sangue porque era testemunha de Jeová e deixa a esposa grávida morrer”




Polêmica: 

Um caso revoltante, com questões que precisam ser discutidas pela sociedade.







Ao falarmos de religião sempre vamos bater de frente com algumas polêmicas. Mesmo que a maioria das pessoas que pratica sua crença tenha boas intenções, sempre há algumas atitudes dentro de algumas religiões que vão parar em sites de notícias e causam as mais variadas polêmicas. O caso de hoje que iremos contar é mais uma grande polêmica do mundo religioso.
Não sabemos exatamente qual era motivo do homem e não iremos julgá-lo pelo que ele fez, mas podemos refletir sobre a atitude que ele teve e o que o levou a agir dessa maneira. Todo o relato dessa história foi feito por um usuário do Facebook, que indignado com a situação decidiu contar a todos.
Não se sabe ao certo o nome das pessoas envolvidas, mas quem fez o relato foi o jovem Ajayi Afolabi, que contou tudo o que presenciou uma lamentável cena que aconteceu em um hospital geral na Nigéria.

O jovem disse que começou a perceber uma movimentação muito estranha no hospital e viu as cenas que inicialmente se pareciam com as de uma situação normal que se passa em ambulatórios, mas depois acabou se envolvendo emocionalmente com o que estava acontecendo e acabou até tomando atitudes no final, quando percebeu que não poderia mais aguentar ficar apenas olhando o absurdo que estava acontecendo.
A esposa de um homem estava dando a luz e teve complicações e consequentemente ela e o bebê estavam morrendo, os médicos então informaram que a mulher havia perdido muito sangue e precisava de uma transfusão de sangue imediatamente, apenas a transfusão poderia salvar sua vida, mas o marido, que era testemunha de Jeová, não aceitou que ela fizesse a transfusão.
O jovem ouviu o médico conversando com o marido da grávida tentando convencê-lo a permitir que ele continuasse com os procedimentos necessários porque a mulher já havia perdido muito sangue e a vida dela e do bebê estava em risco, ela não aguantaria por muito tempo. Contudo, o homem recusou veementemente.

Ele disse que a transfusão de sangue era contra a doutrina da igreja. As testemunhas de Jeová não aceitam essa prática e ele considerava um pecado transferir seu próprio sangue para a esposa.


O médico disse que iria salvar a mulher, mas seu marido ameaçou processar o médico. O profissional ainda pediu para que o marido repensasse e salvasse a vida da esposa e de seu filho que estava nascendo, mas ele continuou insistindo que isso não mudaria sua mente de forma alguma.
O médico então foi falar com a mulher e perguntou a ela se havia outra pessoa que pudesse assinar os papéis e ela disse não, então ela foi levada a sala de cirurgia em uma cadeira de rodas e aos gritos e chorando ela pedia ao marido que assinasse o papel para que os médicos pudessem salvar sua vida, mas ele disse não.


Uma hora depois o homem voltou ao hospital trazendo um carro para transportar o corpo da esposa. Depois disso, o marido percebeu o que havia acontecido e caiu em lágrimas. O jovem Ajayi Afolabi disse que não aguentou o que se passou e decidiu agredir o marido da falecida.
Essas questões precisam ser discutidas e as pessoas punidas por negar ao outro a chance de viver

0 comentários via Blogger
comentários via Facebook

Footer

Tecnologia do Blogger.