Escola católica do Rio remove livro esquerdista após queixas dos pais - Front catolico

Escola católica do Rio remove livro esquerdista após queixas dos pais



Direção do Colégio Santo Agostinho acatou queixas de pais de alunos que protestaram contra a adoção de obra de ficção que trata da ditadura





Pressionada por pais de alunos, a direção do Colégio Santo Agostinho, um dos mais tradicionais do Rio, decidiu suspender a adoção do livro de ficção Meninos sem Pátria, de Luiz Puntel, que havia sido indicado para alunos do 6º ano do ensino fundamental. A obra, lançada em 1981 e que está na 23ª edição, foi acusada de defender posições de esquerda. O romance trata de um jornalista do interior de São Paulo que, perseguido pela ditadura militar implantada em 1964, teve que fugir do país.
O caso foi parar na página Alerta Ipanema, no Facebook, que tem como ilustração principal uma foto de campanha dos deputados Jair e Flávio Bolsonaro, candidatos, respectivamente, à Presidência e ao Senado. De acordo com um texto postado ontem na página, o livro “é acusado de doutrinar crianças” com “ideologia comunista em sala de aula”. A postagem afirma que Meninos sem Pátria “critica governos militares enaltecendo a ótica de esquerda”. O tema dividiu comentários na página: houve quem sugerisse que os pais retirassem os filhos do colégio, outras pessoas apoiaram a adoção do livro.
 (Reprodução/Facebook)


Na manhã desta terça, 2, a Equipe de Coordenação do Ensino Fundamental II enviou para os pais de alunos comunicado em que informa a suspensão da leitura do livro “para fins das atividades escolares” –

o título do romance não é citado. A nota afirma que a decisão foi tomada pela direção do colégio após tomar conhecimento do livro e de analisá-lo com a equipe de coordenação. Meninos sem Pátria faz parte da lista de material escolar divulgada no início do ano.



0 comentários via Blogger
comentários via Facebook

Footer

Tecnologia do Blogger.