Desrepeito: Manifestantes protestam contra Bolsonaro na porta de catedral catolica - Front catolico

Desrepeito: Manifestantes protestam contra Bolsonaro na porta de catedral catolica






Esquerdistas foram às ruas em todo o país para protestar contra a candidatura de Jair Bolsonaro (PSL) à Presidência, em atos convocados pelo grupo Mulheres Unidas Contra Bolsonaro (MUCB). Faltando uma semana para o segundo turno de votação, o MUCB e outros movimentos estarão confirmaram novas manifestações para este sábado (20 de outubro).um dos locais de protesto foi em frente a Catedral metropolitana de São Paulo,um tremendo desrespeito com os católicos



Segundo a coligação “O Brasil Feliz de Novo” (PT,PCdoB, Pros), do candidato Fernando Haddad, estão confirmadas concentrações em 122 municípios brasileiros, com aproximadamente 1,5 milhão de pessoas convidadas. A ideia é levar para as ruas a manifestação que começou online com a hastag #EleNão – em referência a Bolsonaro.

E quem são as loucas feminiz do “ele não”? Vejam as fotos basta analizar pra ver quem TODAS feministas e afins tem problemas mentais. No passado este pessoal era tratado, hoje protestam nas ruas.




Image may contain: 3 people

Se formos analisar a hastag: #EleNão, com um olhar cético, podemos facilmente perceber que não se trata de um movimento espontâneo, sendo antes uma militância organizada e ideologicamente consciente de seus fins: usar de guerra entre classes, mulheres como massa de manobra e coletivismo feminista cego para defender o PT. Não se esperava menos das classes artísticas, as mesmas que sobrevivem e são alimentadas pelas numerosas tetas estatais.

O #EleNão não é nadinha espontâneo: O #EleNão é, obviamente, uma via alternativa da esquerda para manter seu poderio político no cenário nacional, agindo como propagandista de um movimento que parece sugerir uma luta paralela ao da política eleitoreira, mas no fundo o discurso que sustenta o movimento é o que diz ser Bolsonaro a expressão do mal social em si.

O #EleNão substitui a labuta digna, e verdadeiramente democrática, de investigar as fontes primevas por trás das afirmações de cada meio midiático e de formadores de opinião, por jargões, memes, vídeos e campanhas que facilitam essa investigação, encerrando-as, na maioria das vezes, em partidarismo sem nenhum compromisso com a verdade.


0 comentários via Blogger
comentários via Facebook

Footer

Tecnologia do Blogger.