Pedofilia legalizada:Ter sexo consensual com crianças não é mais estupro na França - Front catolico

Pedofilia legalizada:Ter sexo consensual com crianças não é mais estupro na França

A NOVA LEI NÃO ESTABELECE UMA IDADE MÍNIMA DE CONSENTIMENTO LEGAL



A Assembleia Nacional aprovou uma lei sobre abuso sexual e crimes de estupro que não definir uma idade mínima legal de consentimento no momento do sexo. Isso abre a porta para a pedofilia no caso de não haver violência e coerção para o menor.
( Intellect / InfoCatólica ) De acordo com Le Figaro , a nova lei não define uma idade legal de consentimento , o que significa que os adultos que têm relações sexuais com crianças vai não ser processado por estupro se a vítima não pode provar a existência de " violência, ameaça, coerção ou surpresa ».
O projeto de lei contra a violência sexual e de gênero, conhecida como a lei Schiappa foi promulgada em 3 de Agosto pelo Parlamento francês, provocando indignação nos pais país galo e grupos que defendem os direitos das crianças, e Eles acusaram o governo e o parlamento de trair crianças francesas.
Apenas recentemente os tribunais franceses se recusaram a processar dois pedófilos (um de 30 e outro de 28) para o estupro cometido contra duas meninas com idades entre 11 porque seus advogados não para provar que o menor não dar o seu consentimento .
Na última quinta-feira, vários grupos, incluindo o Conselho Francês de Associações pelos Direitos da Criança, emitiram uma declaração conjunta para expressar sua "indignação" pelo abandono da idade de consentimento após a aprovação da nova lei.
" Este deve ser o principal parâmetro do projeto de lei: a introdução de uma idade abaixo da qual as crianças seriam automaticamente considerados incapazes de consentir relações sexuais com adultos", diz a declaração conjunta.
Em sua versão final, a lei Schiappa estabelece que, para crianças menores de 15 anos, "a contenção moral ou surpresa é caracterizada pelo abuso da vulnerabilidade da vítima que não tem o discernimento necessário para esses atos". No entanto, o ex-ministro dos direitos das mulheres, Laurence Rossignol, diz que essas noções de "vulnerabilidade" e "discernimento" deixar muito espaço para pedófilos escapar da punição ao abrigo da lei.



FONTE: http://www.infocatolica.com/?t=noticia&cod=32847
0 comentários via Blogger
comentários via Facebook

Footer

Tecnologia do Blogger.