Menina que preferiu morrer a ser estuprada sera beatificada em setembro - Front catolico

Menina que preferiu morrer a ser estuprada sera beatificada em setembro





Bratislava, 26 Ago. 18 / 05:00 am (ACI).- No próximo dia 1º de setembro será beatificada Anna Kolesárová, uma jovem eslovaca que assim como Santa Maria Goretti morreu mártir por defender sua pureza e castidade.
A cerimônia de beatificação será realizada no Estádio Lokomotíva de Kosice (Eslováquia) e será presidida pelo novo prefeito da Congregação para as Causas dos Santos, Cardeal Giovanni Angelo Becciu.
Está previsto que, em 31 de agosto e em 2 de setembro, missas, vigílias de oração e concertos sejam celebrados em agradecimento pelo novo Beato.
Em março deste ano, o Papa Francisco assinou o decreto que reconheceu o martírio e autorizava a beatificação da Serva de Deus Kolesárová.
Quem foi Anna Kolesárová?
Anna Kolesárová nasceu na cidade de Vysoká nad Uhom (Eslováquia), em 14 de julho de 1928, em uma família de agricultores.
Segundo indica uma biografia no site da beatificação, a mãe morreu quando Anna tinha dez anos. A menina encontrou a fortaleza que necessitava em Deus e, quando jovem, aprendeu a fazer as tarefas em sua casa.
Recebeu o apoio dos seus amigos e familiares e se caracterizava pelo "seu lindo sorriso que suavizava o seu rosto". Ela também "se dava muito bem com qualquer pessoa".


Ao crescer, "a beleza simples a acompanhava durante a sua vida pura": cozinhava, realizava peregrinações marianas com suas amigas, cuidava dos animais, das suas tarefas e gostava de colocar na sua cabeça coroas elaboradas com dentes de leão.
Em 1944, o flagelo da Segunda Guerra Mundial atingiu a vida "simples, mas alegre" do seu povoado.
A menina, que nesse então tinha 16 anos, começou a usar roupas pretas e quando um vizinho lhe perguntou o motivo, ela respondeu: "Tenho medo de ser vista. Os soldados não devem saber que eu sou jovem".
Na noite anterior à sua morte, Anna foi à Missa para se fortalecer com a Eucaristia. Em 22 de novembro de 1944, "os soldados chegaram para libertar a área e se comportaram como animais enquanto procuravam o inimigo".
Um deles entrou na casa da família Kolesárová, cujos membros e outros moradores estavam escondidos no porão. O pai achou que o soldado estava procurando ajuda e pediu a Anna que lhe desse algo para comer.
A menina obedeceu, conta a sua biografia, mas "o soldado percebeu rapidamente que sob aquele pano escuro não se escondia uma pessoa adulta, mas uma menina jovem. Linda e pura".
Então o homem começou a murmurar palavras obscenas e disse à menina: "Entrega-te ou você morrerá imediatamente".
A menina se negou porque não queria cometer este pecado e o soldado cheio de raiva apontou a arma para ela e gritou: "Diga adeus ao seu pai!".

Enquanto isso, o seu pai rezava a Deus e ouviu o grito da sua filha: "Adeus pai! Jesus, Maria, José!”.
O tiros lhe causaram dois ferimentos mortais. No dia seguinte, os homens do povoado construíram um caixão para colocar o cadáver da jovem mártir e a enterraram à noite, sem a presença de um sacerdote nem cerimônias devido às dificuldades.
O sacerdote jesuíta Michal Potocký, nascido no povoado de Vysoká nad Uhom, reuniu testemunhos sobre a vida e a morte de Anna. Depois da queda da União Soviética, as pessoas começaram a peregrinar ao seu túmulo.
A abertura de seu processo de beatificação foi celebrada com um encontro Arquidiocesano juvenil em Kosice em abril de 2005.
Em declarações à agência SIR, o vice-postulador de sua causa, Juraj Jurica, indicou que Anna era "uma jovem que protegeu a sua castidade pagando o preço com a sua própria vida. Ela encontrou a força para dizer ‘não’ ao pecado, isso foi consequência da sua fé profunda".
"Ela é a prova de que a misericórdia de Deus dá muito fruto nos corações das pessoas simples, por ela os torna capazes de se converteram em mártires", afirmou.
0 comentários via Blogger
comentários via Facebook

Footer

Tecnologia do Blogger.