Arquidiocese de Londrina lança cartilha de orientação política aos católicos,critica armas,mas "esquece" do aborto e ideologia de genero - Front catolico

Arquidiocese de Londrina lança cartilha de orientação política aos católicos,critica armas,mas "esquece" do aborto e ideologia de genero






Preocupada com a grave crise ética e política que assola o País, a Arquidiocese de Londrina lançou nesta quarta-feira (1º) a Cartilha de Orientação Política voltada à comunidade católica da região para eleições de 2018. Serão distribuídos 15 mil exemplares do manual nas igrejas da região que contém 31 páginas de conteúdo sobre o pleito. Como premissa de não se identificar com nenhuma ideologia ou partido político, a cartilha toca em temas com ameaça à democracia, corrupção, acirramento da polarização e descrédito dos políticos.

"A igreja católica neste momento está falando para toda sociedade. É preciso dar uma passo sério no avanço da democracia, eliminando políticos que já não conseguem mais da situação política do momento. Precisamos de gente do diálogo, que se coloque contra a corrupção e que se coloque mais a serviço da comunidade do que de corporações empresariais, políticas e ideológicas. E de fato precisamos de uma guinada", disse o arcebispo dom Geremias Steinmetez em entrevista coletiva.

LEIS ANTICORRUPÇÃO
A cartilha destaca ainda duas leis criadas por iniciativa popular e que tiveram amplo apoio da igreja católica com a lei contra a corrupção eleitoral (lei 9.840/1997) e a Lei da "Ficha Limpa" (lei complementar 135/2010), que impede políticos com condenação em segunda instância por órgão colegiado de participar de eleições. "Essa lei só aconteceu graças a forte participação da igreja católica. Mas isso, por si só, não bastou para que o nosso povo tenha conscientização suficiente em vista da eleição."



A igreja católica também entrou na onda de alerta contra as notícias falsas, as chamadas 'fake news'. Ou seja, o manual tem um capítulo dedicado ao tema. "A coisa está tão disseminada pelas redes sociais. Desfazer uma mentira é muito mais difícil que publicá-la", ressaltou o arcebispo.

A cartilha prioriza ainda valores que os eleitores cristãos precisam ficar atentos como competência política e capacidade de liderança, defesa de valores como caridade, família, respeito aos adversários, coerência e credibilidade. Além de repudiar e alertar sobre candidatos que tentam comprar voto, usam de demagogia e arrogância e tem atitude agressiva.

ARMAMENTO
Questionado sobre o discurso armamentista de alguns candidatos, Dom Geremias lembrou que a igreja católica já se posicionou no passado pelo Estatuto do Desarmamento. "Não é por aí. Políticos que pensam em fazer a

construção pelo armamentismo está fora de cogitação, fora de qualquer pensamento posso construir o Brasil. A igreja não estava olhando para si, mas para sociedade. A legítima defesa existe, mas não significa que precisamos ter arma dentro de casa".

A cartilha ainda destaca os "sete pecados" capitais do eleitor: não votar, pois enfraquece democracia; vender ou trocar voto; não ter convicção (mudar de opinião por influência da internet); não conhecer o político; deixar-se influenciar pelas pesquisas; não respeitar a opinião do outro e deixar de acompanhar e fiscalizar o candidato eleito.



Mas fica aqui a pergunta,onde ficam a orientação contra os políticos comunistas,pro aborto,pro ideologia de gênero ??
0 comentários via Blogger
comentários via Facebook

Footer

Tecnologia do Blogger.