Padre é preso suspeito de tentar estuprar menina de 12 anos em Rio Grande - Front catolico

Padre é preso suspeito de tentar estuprar menina de 12 anos em Rio Grande


De acordo com informações apuradas pela Polícia Civil, o religioso perseguiu a adolescente de carro e tentou puxa-la para dentro do veículo à força, mas ela conseguiu fugir. A defesa nega que o padre tenha cometido o crime.



Um padre de 57 anos foi preso na tarde desta quinta-feira (5) por suspeita de tentativa de estupro contra uma menina de 12 anos em Rio Grande, Região Sul do Rio Grande do Sul. De acordo com informações apuradas pela Polícia Civil, o religioso perseguiu a adolescente de carro e tentou puxa-la para dentro do veículo à força, mas ela conseguiu fugir.
A defesa de Giacobbo afirma que o padre nega ter cometido o crime. Conforme os advogados Rosana Dutra e José Alberto Coutinho Júnior, ele contou a sua versão no depoimento e a defesa aguarda pelo Judiciário.
Em depoimento, a adolescente relatou que chegava em casa, no bairro Santa Teresa, quando foi abordada pelo religioso. Ela disse ter percebido quando um homem se aproximou em um carro e passou a observá-la, com o vidro abaixado.
Quando tentou abrir o portão, notou o carro fazendo o retorno no fim da rua e vindo em direção a ela em alta velocidade. Como estava sozinha em casa, tentou fugir, mas foi alcançada pelo homem. A menina disse foi agarrada pela cintura e teve a boca tapada. Quando seria colocada dentro do veículo, conseguiu se desvencilhar e pediu socorro na casa da avó. 



A Brigada Militar foi acionada e localizou o religioso dentro do carro, ainda no bairro Santa Tereza. Na Delegacia de Polícia de Pronto-Atendimento, o padre negou a acusação, mas o depoimento foi considerado contraditório pelo delegado Leandro Amaral, que atendeu à ocorrência. Segundo ele, imagens de câmeras de segurança confirmaram que o padre estava próximo à casa da estudante.
Celso Giacobbo foi preso em flagrante, e seria encaminhado na noite desta quinta ao Presídio de Rio Grande. Ele foi ordenado padre em janeiro de 1992 e, segundo a Polícia Civil, retornou ao Brasil depois de 25 anos morando no exterior. Atualmente, era pároco da Igreja São Judas Tadeu.
Por meio de nota, o bispo Dom Ricardo Hoepers, da Diocese de Rio Grande, manifestou "profunda tristeza e lástima por qualquer ato ou tentativa de violência, intimidação ou abuso sexual". O texto segue dizendo que "as autoridades competentes, por sua vez, têm a obrigação de esclarecer a veracidade dos fatos."
0 comentários via Blogger
comentários via Facebook

Footer

Tecnologia do Blogger.