Extremistas hindus agridem freiras e seqüestram órfãos - Front catolico

Extremistas hindus agridem freiras e seqüestram órfãos




No Estado de Chhattisgarh, cerca de 20 extremistas da organização Bajrang Dal embarcaram em um trem na estação de Durgh, e tomaram dois bebês, de duas freiras da ordem Missionárias da Caridade na sexta-feira  As crianças não tinham mais que 2 anos de idade.
Os extremistas hindus também agrediram uma freira e um motorista, que haviam sido mandados para ajudar.
As freiras e duas auxiliares iam levar os bebês de Raipur ao centro de caridade Shishu Bhava, em Bhopal. Os extremistas hindus entraram à força, gritando frases anticristãs. Fontes cristãs disseram que os extremistas seqüestraram os bebês e deixaram o trem, enquanto as freiras corriam atrás deles.
Acusando as freiras de conversão forçada, os extremistas levaram-nas à polícia ferroviária. Quando uma das duas irmãs, identificada como Irmã Mamta, solicitou permissão para telefonar para um advogado, a polícia recusou. Depois de muito pedir, foi-lhe permitido ligar ao arcebispo.


O arcebispo mandou prontamente duas freiras em uma ambulância, com um motorista, à estação de Durgh para assistir às freiras detidas. Mas antes que pudessem chegar à estação, foram vistos e cercados pelos membros do Bajrang Dal, fora da estação de trem.
Uma das freiras, identificada como Irmã Laboure, e o motorista da ambulância, foram impiedosamente espancados pela multidão. Os extremistas continuaram a gritar frases anticristãs, enquanto agrediam e ameaçavam matar a freira e o motorista.
Imediatamente a polícia ferroviária levou as duas freiras que haviam chegado, e o motorista, sob custódia, e eles foram mantidos na estação policial por cinco horas. A Irmã Laboure e o motorista não receberam os primeiros-socorros necessários.


Na manhã seguinte, a polícia escoltou as freiras aos seus respectivos conventos. Segundo notícias, a Irmã Laboure foi posteriormente atendida em um hospital, para tratar de seus ferimentos.
As freiras não receberam os bebês de volta. Eles foram levados a um hospital do governo, onde permanecem até o presente momento.




0 comentários via Blogger
comentários via Facebook

Footer

Tecnologia do Blogger.