As orações católicas são vãs repetições? - Front catolico

As orações católicas são vãs repetições?




 


Conheça a verdade a respeito da acusação, dos protestantes, de que as orações católicas são vãs repetições.
Quantos de nós católicos já não foi acusado pelos protestantes de fazer orações vãs, por serem repetitivas, que segundo eles são condenadas na Bíblia? Escrevo este artigo justamente a pedido de um de nossos leitores, que preocupa-se com essas acusações, pois podem contaminar a muitos de nós, católicos. Este leitor tem um amigo que já está influenciado por essa mentalidade. Por isso, deixou de rezar o Terço, pensando que a Bíblia condena orações que tenham repetição de palavras.
Primeiramente veremos se os protestantes têm condições, conhecimento suficiente, para interpretar as Sagradas Escrituras. Pois, para interpretar qualquer livro, é necessário ter um conhecimento do tema que nele é tratado. Além disso, é necessário conhecer o autor do livro, pois, sem esse conhecimento, qualquer tentativa de interpretação provavelmente será um fracasso.



O interessante é que em Mt 6,7 o evangelho vai contra justamente o falatório desordenado que os “crentes”dizem ser uma oração,"aleluia,gloria a Deus,ta amarrado,ta repreendido,etc .." eles ainda usam essa passagem para criticar as repetições solenes dos católicos que jamais seria contrario ao evangelho,senão não haveria nos salmos e o próprio Cristo não faria.
Eles ainda aprenderam com seus lideres que rezar e orar são coisas diferentes,rezar e orar significa a mesma coisa. Inglês: To Pray: Rezar ou orar. Espanhol: Orar: Rezar ou orar. Grego: “προσεύχομαι – proséf̱chomai”: Orar ou rezar. Hebraico: “להתפלל”: Orar ou Rezar.
1Ts 5,17 “ORAI SEM CESSAR”
20999_361583423963391_1412998228_n





Não raro vemos que evangélicos acusando os católicos de recitarem orações decoradas tais com os Salmos, o Pai Nosso e demias orações formuladas pela Igreja. Dizem que isto é condenado por Cristo segundo está escrito em sua bíblia fininha e falsificada. Eis a passagem pela qual condenam os católicos:

“E, orando, NÃO USEIS DE VÃS REPETIÇÕES, como os gentios, que pensam que por muito falarem serão ouvidos” (Mat 6:7).
Entretanto quando examinamos a mesma passagem numa Bíblia devidamente aprovada pela Igreja Católica notamos que há divergência, senão observem:
“Nas vossas orações, NÃO MULTIPLIQUEIS AS PALAVRAS, como fazem os pagãos que julgam que serão ouvidos à força de palavras” (São Mateus 6,7).
Sem contar que eles estão condenando como “vãs” todas as orações decoradas tais como os Salmos e o Pai Nosso ensinando por Cristo. Serão mesmo “vãs” tais palavras? Serão condenadas as fórmulas pre-existentes?
Vamos ao oringial grego:
“Προσευχόμενοι δὲ μὴ βατταλογήσητε ὥσπερ οἱ ἐθνικοί, δοκοῦσιν γὰρ ὅτι ἐν τῇ πολυλογίᾳ αὐτῶν εἰσακουσθήσονται”. – (Pronúncia: “Proseukomenoi de me battaloyesete osper oi etnikoi, dokusin gar oti en te POLYLOGIA auton eisakustesontai”).
A palavra chave é πολυλογίᾳ, que, para a infelicidade dos falsificadores da Palavra é muito conhecida em nossa língua: POLYLOGIA – POLY: muito, bastante; LOGIA – palavra. usada principalmente para designar Cristo o LOGOS (palavra) de Deus. O termo POLYLOGIA tem a acepção de TAGARELICE, VERBORRÉIA, PROLIXIDADE.
Onde se encontram aqui as palavras “vãs” e “repetições” alegadas pelos protestantes???? Em lugar nenhum.

Oswaldo Garcia.



Condenando as más traduções protestantes que

condenam erroneamente a repetição da oração:
No Getsemani, Cristo “Deixou-os e foi orar pela terceira vez, dizendo as mesmas palavras “ (Mt 26, 40-44). Exatamente como fazem os Católicos.
O Salmo 135, na Bíblia católica, e 136 nas protestantes, é uma ladainha, que se repete sistematicamente.
Ladainha é uma oração grupal, onde a cada invocação os reunidos repetem uma jaculatória. Será que os evangélicos vão arrancar da Bíblia deles também esta página que repete as palavras na oração?
Infelizmente o antagonismo cego dessa gente, os afasta cada vez mais de Deus.
Salmos 136 completo com 26 repetições segundo a biblia (editorial) protestante João Ferreira de Almeida.
Louvai ao SENHOR, porque ele é bom; porque a sua benignidade dura para sempre.
Louvai ao Deus dos deuses; porque a sua benignidade dura para sempre.
Louvai ao Senhor dos senhores; porque a sua benignidade dura para sempre.
Aquele que só faz maravilhas; porque a sua benignidade dura para sempre.
Aquele que por entendimento fez os céus; porque a sua benignidade dura para sempre.
Aquele que estendeu a terra sobre as águas; porque a sua benignidade dura para sempre.
Aquele que fez os grandes luminares; porque a sua benignidade dura para sempre;
O sol para governar de dia; porque a sua benignidade dura para sempre;
A lua e as estrelas para presidirem à noite; porque a sua benignidade dura para sempre;
O que feriu o Egito nos seus primogênitos; porque a sua benignidade dura para sempre;
E tirou a Israel do meio deles; porque a sua benignidade dura para sempre;
Com mão forte, e com braço estendido; porque a sua benignidade dura para sempre;
Aquele que dividiu o Mar Vermelho em duas partes; porque a sua benignidade dura para sempre;
E fez passar Israel pelo meio dele; porque a sua benignidade dura para sempre;
Mas derrubou a Faraó com o seu exército no Mar Vermelho; porque a sua benignidade dura para sempre.
Aquele que guiou o seu povo pelo deserto; porque a sua benignidade dura para sempre;
Aquele que feriu os grandes reis; porque a sua benignidade dura para sempre;
E matou reis famosos; porque a sua benignidade dura para sempre;
Siom, rei dos amorreus; porque a sua benignidade dura para sempre;
E Ogue, rei de Basã; porque a sua benignidade dura para sempre;
E deu a terra deles em herança; porque a sua benignidade dura para sempre;


E mesmo em herança a Israel, seu servo; porque a sua benignidade dura para sempre;
Que se lembrou da nossa baixeza; porque a sua benignidade dura para sempre;
E nos remiu dos nossos inimigos; porque a sua benignidade dura para sempre;
O que dá mantimento a toda a carne; porque a sua benignidade dura para sempre.
Louvai ao Deus dos céus; porque a sua benignidade dura para sempre.

Conheça a verdade a respeito da acusação, dos protestantes, de que as orações católicas são vãs repetições.
Nossa Senhora do Rosário
A Bíblia contém vários livros, que foram escritos por inspiração divina, em vários momentos da história. Será que nossos irmãos protestantes têm o conhecimento suficiente para interpretar as Escrituras? Terão eles não somente o conhecimento filosófico e teológico, mas também do Autor divino, que é a própria Palavra de Deus?


A TA


A unidade entre as Sagradas Escrituras e a Tradição da Igreja
Os protestantes fundamentam a sua condenação das orações repetitivas na Bíblia. No entanto, eles parecem não saber que quem formou o cânon bíblico foi a Tradição da Igreja Católica. Sendo a Tradição que escreveu os livros do Novo Testamento, selecionou quais seriam usados na Liturgia e posteriormente entrariam no cânon das Sagradas Escrituras, logicamente ela é a autoridade que nos dá a sua interpretação, através do Magistério da Igreja. Condenar as nossas orações sem considerar a Tradição e o Magistério da Igreja é o mesmo que interpretar um livro sem considerar o pensamento do seu autor.
Nós, que somos herdeiros

desse patrimônio valioso que é a Bíblia, a Tradição e o Magistério da Igreja, não podemos nos deixar enganar, mas precisamos conhecer esse legado e defendê-lo, como defenderam nossos irmãos na fé. Mais do que isso, precisamos ensinar nossos irmãos, que sofrem e se perdem por falta de conhecimento (cf. Os 4, 6).

 Aprendamos uma coisa: a Bíblia tem valor enquanto Revelação divina. Jesus Cristo se revelou aos apóstolos e discípulos. Estes nos transmitiram a Sagrada Revelação através da Tradição oral e das Sagradas Escrituras. Por isso, a Bíblia só pode ser considerada Revelação divina se for interpretada em conformidade com a Tradição da Igreja. Como os protestantes não conhecem a Tradição, eles não tem autoridade nenhuma para interpretar a Bíblia. Por isso, fiquemos com os ensinamentos da Igreja de dois mil anos de história, nos quais muitos homens e mulheres deram a vida por causa da fé. Não nos deixemos enganar por pessoas que se apossam da Bíblia, um patrimônio que é nosso, e ainda querem usá-la contra nós.


0 comentários via Blogger
comentários via Facebook

Footer

Tecnologia do Blogger.